Conceito

O volume de tráfego nas redes móveis tem vindo a crescer exponencialmente, sobretudo pelo aparecimento de novos serviços e aplicações móveis. Nos próximos anos, com o impacto da Internet of Things (IoT), o número de dispositivos conectados à rede e respetivo tráfego irá aumentar, impossibilitando que as atuais redes móveis possuam capacidade para suportar este crescimento. É, portanto, necessária uma adaptação das tecnologias sem fios existentes às necessidades futuras. Em particular, a redução do consumo energético e a conetividade em banda ultra-larga são características essenciais para as redes de próxima geração.

O projeto Wi-Green tem como objetivo desenvolver novas soluções que permitam reduzir o consumo energético de pontos de acesso Wi-Fi (APs), nomeadamente em ambientes interiores, tendo em conta a abordagem de offloading para Wi-Fi seguida na solução global do SooGreen. A principal inovação do Wi-Green reside na otimização do consumo energético do ponto de vista da componente de consumo energético das redes Wi-Fi que tem vindo a ser ignorada – os pontos de acesso. A abordagem do projeto inclui a utilização e adaptação de mecanismos existentes de análise e deteção de tráfego de entrada e saída de um ponto de acesso Wi-Fi, para permitir a configuração dinâmica e sensível ao tráfego do modo de operação de um ponto de acesso (BSS- Basic Service Set) ou de uma rede de pontos de acesso (ESS – Extended Basic Service Set), sem que o desempenho seja comprometido.

 

Conceito do Projeto

O projeto Wi-Green está inserido no projeto europeu SooGreen (https://soogreen.cms.orange-labs.fr/soogreen), que obteve a label do programa CELTIC-PLUS a 17 de novembro de 2014. O SooGreen é liderado pela Orange/França e tem como principal objetivo desenvolver novas soluções que permitam aumentar a eficiência energética das redes móveis, incluindo soluções baseadas no offloading do tráfego para redes Wi-Fi. O projeto SooGreen aguarda resposta sobre o financiamento deste projeto nacional para avançar com desenvolvimentos complementares, que promovam a otimização do consumo energético das redes móveis e reforcem os trabalhos já validados tecnicamente por este Cluster Eureka para as telecomunicações.